“VOCÊ É A MÉDIA DAS 5 PESSOAS COM AS QUAIS MAIS CONVIVE”

COMO ESSA FRASE DE FATO FUNCIONA – E COMO ELA INSPIROU A MOAI

Muita gente já leu o livro do Napoleon Hill chamado “Quem Pensa Enriquece”, e algumas também encararam o grandão: “A Lei do Triunfo”, no entanto, pouquíssimos realmente pararam para prestar atenção na fórmula do sucesso que se esconde ali. E ela se chama – Grupos Mastermind.

Há muito tempo, estava lendo o blog de um cara o qual sou fascinado, e ele escreveu a seguinte frase: “Já dei duas voltas ao mundo mas nunca vi um Fiat Uno estacionado entre uma Ferrari e um Porsche”.

Mastermind é algo novo?

Saca, esses novos gurus (que inclusive gosto muito) como Goffi, Erico Rocha e essa galera brasileira que está faturando milhões divulgando e vendendo seus grupos Mastermind?

Pessoal, sinto dizer, mas isso já existe há DÉCADAS.

Nos EUA, empresas como a Vistage, YPO, BAG e dezenas de outras já trabalham com o conceito de Business Councils, Mentoring, Mastermind e Coaching para executivos.

A grande diferença delas para o que temos no Brasil, é que ao invés de focarem no que há no “menu” do próximo evento de networking, se será no restaurante NAU ou no Bloco das Nações, se o evento é open bar ou não e com quem elas querem fechar negócio e trocar cartão, os grupos dos EUA focam em criar um ambiente de extrema confiança.

São grupos seletos (no sentido de selecionar quem deve mesmo estar ali) e de fato colocam a cabeça de todo mundo para funcionar, para chegar a uma conclusão e resolver os maiores desafios de cada um dos membros.

“O segredo não é a quantidade, mas a qualidade dos membros. A forma não é networking, mas co-working (de fato).”

Mais a frente irei aprofundar no assunto, por hora, quero PROVAR como de fato a MOAI funciona na prática.

Primeiro, preciso que você pegue uma folha de papel e anote o nome de cinco pessoas com as quais mais convive. Pode ser em qualquer meio: trabalho, pessoal etc.

Agora, pegue o faturamento mensal dessa pessoa (se você realmente convive muito com ela, você deve ter no mínimo uma ideia de quanto essa pessoa ganha). Depois, tire uma média aritmética.

O dinheiro que você ganha está provavelmente 20% a mais ou a menos dessa média. Se as 5 pessoas que você escreveu ganham cerca de 6 mil reais por mês, você ganha entre R$ 7.200 e R$ 4800.

Você quer abrir um negócio, mas nenhum amigo seu tem um? Você quer ser bem-sucedido, mas não convive com ninguém que seja? Vamos fazer as contas:

0 + 0 + 0 + 0 + 0 / 5 = 0

0 x (100%+20%) = 0

0 x (100%-20%) = 0

[0,0]

Deixa eu adivinhar: Você não tem um negócio de sucesso e não é bem sucedido.

É claro, dinheiro do pai ou empresa herdada, não conta! Estou falando de quem, de fato, construiu do zero (nada contra quem por algum motivo já recebeu tudo pronto, só que aí a regra não funciona). E digo mais, isso funciona para QUALQUER área da sua vida.

Se você tirar uma média do nível de comunhão com Deus das pessoas que você mais convive, ou se elas têm ou não casamentos felizes, se elas bebem muito ou não, você sempre vai chegar mais ou menos nesse denominador comum.

Quer ter uma empresa de sucesso?

Quer abrir um negócio próspero? Ande com pessoas que também estão nesse caminho. É simples assim. 

Bom, agora lhe explico como a MOAI funciona e porque eu a criei.

Sempre escutei muito do Eric Tomas e Gabriel Goffi que somos a média das 5 pessoas que a gente mais convive.

Para quem leu meu post: “POR QUE EU PEDI DEMISSAO EM MEIO A CRISE”, já entendeu porque tive que abandonar uma próspera carreira no setor privado e ir em busca do meu sonho, o problema, é que eu só andava com uma galera meio “tóxica”.

Tóxica pode ser uma palavra meio pesada, mas o que quero dizer é: sem muita ambição, sem visão do que está acontecendo no mundo, vontade de empreender etc. Além disso, uma mentalidade meio negativa que me puxava para baixo.

E eu precisava e queria MUITO abrir uma empresa. O que aconteceu? Essa frase: “VOCÊ É A MÉDIA DAS 5 PESSOAS COM AS QUAIS MAIS CONVIVE”, se concretizou e eu acabei me rebaixando.

Meu whatsapp só tinha gente falando de mulher, futebol, piadinha e bar. Em casa meus pais queriam que eu tentasse um concurso público. No jantar, falava-se sobre o próximo corte da sua empresa, que a casa ia cair e o desemprego era uma realidade.

A galera do bar só pensava em bar. A galera da balada só pensava em balada. E eu fiquei nessa “ideia” por alguns anos (antes de pedir demissão e realmente mudar as coisas).

Resultado: Eu vivia crescendo na minha carreira a passos de tartaruga (dado o potencial que hoje sei que tenho), vivia brigando com meus pais e torrando dinheiro com coisas fúteis. Foi a fase que fiquei mais estagnado na vida.

Mas já dizia aquela frase: tubarão anda com tubarão, não tem jeito!

E um certo dia, estava eu em um bar, conversando com um amigo, Victor Bittencourt – o cara tem 30 anos de idade, participa de movimentos políticos e está por dentro de tudo o que está rolando no mundo, tem uns sonhos grandes de se tornar Deputado e até mesmo Presidente.

Além disso, o Victor é médico anestesista com duas residências, empreendedor, pratica esportes, lê 2 livros por mês e tudo isso com uma carga horária de trabalho mínima de umas 80 horas semanais, dentro de um hospital sem estrutura, público, tratando dos pacientes mais complicados que você possa imaginar.

O cara é sinistro.

E nesse dia, a gente teve a ideia de unir um grupo de pessoas que a gente conhecia para juntos desenvolver todas as melhores ideias que nós tivéssemos. Iríamos convidar somente aquele 1% que realmente faria a diferença. E quem entrasse no grupo, daria seu máximo para ajudar um ao outro.

Bom, eu não brinco em serviço. Pedi 30 dias de férias, entrei em modo “buda de produtividade”, buscando tudo o que há de melhor no mundo em termos de grupos mastermind, business councils etc.

Eu sabia que não ia adiantar chamar todos, comprar cerveja e pizza e falar que aquele grupo ia fazer a diferença nos nossos negócios.

Eu queria fazer algo MUITO BEM FEITO. Fiz um vídeo caseiro no youtube que você pode ver aqui, mandei para 20 amigos empresários, reuni 8 deles e pronto.

Em 2 semanas eu estava com uma turma forte, empreendedora de Brasília, um ajudando o outro nos maiores desafios de seus negócios.

Foi nesse dia que nasceu a comunidade MOAI.

E como funciona essa comunidade?

Eu passo meus dias pesquisando grupos e pessoas fora de série, com ideias arrojadas ou que queiram realmente criar negócios de sucesso e os convido para participar da MOAI.

Dentro de uma espécie de algoritmo, onde cruzo a experiência do cara, inovação, capacidade de investimento, tipo de conhecimento técnico para agregar etc.

Crio grupos coesos de até 10 empreendedores (é claro que na medida em que vamos evoluindo, nos capacitamos com cursos de análise de perfil comportamental, técnicas de condução de grupos, entrevistas, ferramentas etc).

A partir daí, passamos a nos reunir quinzenalmente para juntos discutir sobre empreendedorismo, desafios de negócio, pensar juntos nas melhores estratégias, pensar em política, dar apoio moral um ao outro e muito mais.

Mas não para por aí: Desenvolvi mais de 60 ferramentas de apoio aos empresários, como templates para projeção de cenários, business plan, plano de ação e tudo o que vinha surgindo de demanda dos empresários.

Bastava surgir uma demanda da qual não tínhamos como resolver que eu ia atrás de criar ou adaptar alguma ferramenta já existente para nós.

E o que surgiu desses grupos chamados Business Councils não está no gibi.

Eu vi gente entrando na MOAI faturando ZERO, e chegar a casa de milhões em faturamento bruto em 1 ano. 

Eu vi gente optando por FECHAR o negócio e começar algo totalmente novo.

Eu vi empreendedores economizando DEZ MIL reais em uma única reunião com as ideias da galera.

Eu vi gente chorar. Ser fortalecida. Pilhar. Ganhar dinheiro. Perder dinheiro.

Tenho certeza de que todo mundo que vive a experiência MOAI, e realmente dá o sangue, pode se tornar milionário, basta querer (temos vários casos reais).

Fora isso, temos agora coaches profissionais que apoiam os empresários, evento mensal para indicação de novos negócios, capacitações e muito mais.

Bom, escrevi tudo isso para fazer você refletir sobre o seguinte pensamento: as pessoas que te cercam vão te colocar para frente e te motivar a tornar seus sonhos realidade?

Elas estão no mesmo caminho que o seu e sabem o que fazer para te ajudar a chegar lá?

Se quiser estar com pessoas que vão te impulsionar e ajudar no crescimento da sua empresa, participe do processo de seleção da MOAI clicando aqui, e chega junto, porque aqui você vai para frente!

E você? Com quem você conversa sobre as estratégias do seu negócio? Você procura falar com pessoas que te apoiam? Fala pra mim nos comentários aqui embaixo.

E lembrem-se: se você é a pessoa mais inteligente da sala, você está na sala errada.

Aproveite e nos siga através das nossa redes sociais, fique por dentro de tudo sobre o mundo dos negócios, inovações, técnicas e tenha conteúdos exclusivos. Vem com a gente, vamos te ajudar a transformar o seu negócio!

LinkedIn

Facebook

Instagram

Grande abraço!